Taxa de atualização a 60 e 120Hz, monitores ou TVs: quais as vantagens de cada configuração e reprodutor de imagem?

4k e 1080p

A qualidade da jogatina é bastante influenciada pela reprodução gráfica dos jogos. Veja os prós e contras das taxas de 60 e 120Hz.

 

Você é daqueles players que preferem consoles ao invés de PCs gamers para jogar seus títulos favoritos? Se sim, certamente deve ter se deparado com uma importante questão: qual o melhor dispositivo reprodutor de imagem para utilizar na jogatina? Afinal de contas, a qualidade visual do jogo é importantíssima para uma experiência de qualidade e, é claro, sem transtornos.

 

Há diversos detalhes a serem levados em consideração antes de adquirir um monitor ou TV para jogar. Antes de mais nada, uma dica de ouro: procure saber todas as especificidades do seu console. Assim, como no caso de qualquer outro dispositivo eletrônico, a conectividade será limitada.

 

Isto significa que nem todos os aparelhos reprodutores de imagem terão os conectores e entradas necessárias — como a poderosa HDMI 2.1 — ou até mesmo as configurações recomendadas para seu modelo de console, e vice-versa. Mas isso não se trata de algo necessariamente ligado a marcas. Cada fabricante acaba fazendo indicações sobre como utilizar o console para ter a melhor experiência possível.

 

Porém, existem alguns detalhes que devem ser observados caso seu intuito seja aproveitar a melhor performance gráfica dos jogos para console. Sejam eles o Xbox One, PlayStation 4 ou qualquer outro. Uma dessas especificações é a taxa de atualização de quadros, que impacta diretamente na qualidade de imagem do game.

 

Como é de se imaginar, cada modelo de monitor e TV tem uma taxa de atualização diferente. Um valor mais alto significa maior quantidade de quadros sendo atualizados por segundo. Isso consequentemente leva a uma experiência visual mais fluida.

 

Atualmente, os modelos mais populares de dispositivos do tipo apresentam taxas de 60 ou 120Hz. Mas na prática, de que modo essa taxa tem influência no desenrolar do jogo?

 

60Hz vs. 120Hz

 

Com a indústria tecnológica avançando a passos largos, a criação de jogos se desenvolveu muito. Temos títulos com gráficos surpreendentemente realistas e envolventes. Alguns deles são as famosas franquias The Last of Us e Red Dead Redemption.

 

Os jogadores, é claro, querem aproveitar a experiência ao máximo. A escolha de um monitor ou TV com tamanho ideal de polegadas e resolução irá interferir na intensidade da imersão. Mas sobretudo, a taxa de atualização que o dispositivo de reprodução de imagem suporta influenciará na fluidez das cenas. Consequentemente, var impactar a jogabilidade de forma direta.

 

A maioria dos monitores é atualizada a 60 Hz, o que significa que 60 telas são atualizadas a cada segundo. É por isso que as taxas de quadros geralmente eram limitadas a 60 quadros por segundo nos consoles de última geração. Uma tela que suporta 60 Hz, no entanto, só pode exibir no máximo 60 quadros por segundo.

 

Com a chegada do HDMI 2.1, porém, os monitores modernos agora podem suportar até 120 Hz em resolução total de 4K. Alguns jogos suportam 120 Hz em resoluções mais baixas, como 1440p. Independentemente de qual console você tem ou qual resolução usa, seu monitor deve suportar até 120 Hz para que isso funcione.

 

Há consoles que apresentam a possibilidade de configuração gráfica, como é o caso do Xbox. Porém, escolher o modo 120 Hz nas configurações não é suficiente para realmente ver os benefícios do jogo. É preciso jogar um jogo que suporte saída de até 120 quadros por segundo. 

 

Na prática, um monitor ou TV com taxa de atualização a 60 Hz não é sinônimo de fracasso na experiência de jogo imersivo e fluido. No entanto, um display de 120 Hz conta não somente com uma qualidade geral de imagem superior, mas também com um hardware poderoso o suficiente para sustentar frame rates mais altos. 

 

Dessa forma, se você estiver procurando a melhor performance possível, o ideal é procurar pela tecnologia mais avançada. Isso significará, entretanto, um custo final mais alto. 

 

Depois de definida a escolha pela taxa de atualização, resta a pergunta: é melhor adquirir um monitor ou uma TV?

 

Monitor ou TV?

 

A resposta para essa pergunta depende de uma série de variáveis exclusivas da sua situação. A princípio, dependendo do local onde seu console fica posicionado — normalmente os jogadores preferem utilizá-lo na sala de estar — a possibilidade de adquirir uma TV pode ser mais vantajosa. 

 

Além das TVs — não somente as “smart” — normalmente apresentarem maior taxa de atualização, resolução e polegadas, os consoles têm funções multimídia que podem abrir espaço para entretenimento de qualidade nesses dispositivos. A plataforma de streaming Netflix, por exemplo, pode ser acessada através deles. Em contrapartida, uma TV de qualidade certamente terá um custo mais elevado. 

 

No caso do monitor o preço deve ser menor. Porém, esses aparelhos normalmente são mais compactos e apresentam especificações mais modestas. Esses dispositivos, portanto, costumam ser adquiridos por jogadores que preferem os PCs gamers ou não se importam em ter uma experiência de jogo um pouco mais simples, que talvez não acompanhe a verdadeira potência do console. Vale pontuar também que os monitores podem precisar de apoio físico, diferente das TVs, que facilmente são acopladas às paredes. 

Uma dica de ouro é buscar por modelos especificamente destinados aos games. Isso porque as tecnologias aplicadas são pensadas para melhorar a experiência da jogatina. Em caso de dúvidas, não deixe de conferir reviews sobre o assunto antes de adquirir o monitor ou TV. 

NOS SIGA TAMBÉM NO INSTAGRAM E FACEBOOK!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *