Placas de Vídeo

Quais as principais vantagens da Titan X e da Titan RTX? Confira!

Constantemente, as empresas lançam novas peças de computadores cada vez mais potentes, velozes, eficientes e com novas tecnologias. Mas no mundo das placas de vídeo — ou GPUs — , existem novidades, como a Titan X e Titan RTX da Nvidia, que se destacam por apresentarem poder muito acima do que até mesmo as placas mais potentes para jogos.

Essas são duas peças que contam com números incríveis e geram resultados inimagináveis. É comum que você se pergunte qual a finalidade de adquirir placas com tanta potência ou qual a diferença prática entre elas. Para saber a resposta, confira esta leitura e entenda mais sobre o poderio dessas peças, suas finalidades e vantagens!

Pontos que devem ser considerados antes de fazer a sua escolha

Mesmo que várias placas sejam excepcionalmente potentes e apresentem tecnologia de ponta, há características que tornam algumas mais adequadas para desempenharem certas funções. Por exemplo, o foco das Nvidia Titans consiste nas aplicações profissionais de renderização em tempo real, na modelagem 3D, no processamento para inteligência artificial (IA) etc. Nada impede que essas GPUs sejam utilizadas em PC gamers. Os entusiastas podem adquiri-las para jogar lançamentos em altíssimas resoluções e obter centenas de quadros por segundo (FPS), com as configurações gráficas maximizadas. No entanto, até mesmo quem deseja jogar com as peças mais potentes precisa estudar suas especificações. O primeiro aspecto a ser analisado é a compatibilidade, pois de nada adiantaria adquirir a melhor placa se ela não pudesse ser instalada no seu computador. A potência das peças acaba exigindo mais do restante da máquina. Portanto, a fonte de energia deve ser de boa qualidade e de, no mínimo, 600 watts. Além disso, o processador precisa ser de gerações mais novas para evitar o efeito “bottleneck”, bem como a placa-mãe deve ser atual e conter PCIe de terceira geração para evitar problemas. Sobre as GPUs em si, é preciso analisar algumas características, como:

  • potência: consiste na arquitetura, núcleos, tamanho e velocidade da memória, largura de banda etc.;
  • overclock: capacidade de aumentar sua potência, se necessário;
  • tecnologias: novidades tecnológicas trazidas pelas séries das placas;
  • saídas: conexões inclusas, como HDMI, dual link DVI-D ou DVI-I, displayport etc.;
  • custo-benefício: relação entre o preço e a potência oferecida;
  • perfil do usuário: analise se você precisará de um hardware para manipulação de programas avançados, se deseja jogar com gráficos maximizados ou no médio (nesse caso uma placa intermediária seria a melhor opção);
  • marca: as principais desenvolvedoras do mercado são a Nvidia e a AMD, mas também é relevante estudar as fabricantes.

Principais vantagens da Titan X

Em 2016, a Nvidia lançou a nova Titan X, que acompanha a serie GeForce 1000. Essa GPU acabou trazendo resultados ainda mais impressionantes, até mesmo quando comparada a uma GeForce 1080 Ti.

Seu nome acabou confundindo muitas pessoas, já que a sua antecessora também se chama “Titan X”. Para não cometer erros no momento da compra ou na análise das placas, observe o tipo de litografia (arquitetura utilizada em cada uma). Enquanto a antiga versão utilizava a tecnologia Maxwell, o modelo sucessor aplica a Pascal.

São vários os fatores que levam a placa a conseguir destaque perante a GTX 1080. Entenda mais sobre as especificações técnicas e as novidades da peça nos tópicos a seguir.

Mais núcleos de processamento disponíveis

Enquanto a GeForce GTX 1080 é construída com um chip GP104, que tem área de 314mm², a Titan X é equipada com a GP102, cuja área é de 471mm². Em razão da maior quantidade de espaço, é possível alocar mais núcleos CUDA. Assim, a Titan X conta com 3584 shading units, quantidade 50% maior que a da GTX 1080, que tem somente 2560.

Além disso, o número de núcleos CUDA é mais expressivo. Isso potencializa outros elementos relacionados ao processamento. As TMUs são 224, os ROPs chegam a 96 e há um total de 28 SM. Na GTX 1080 esses números são 160, 64 e 20, respectivamente. Todo esse aumento na potência amplia o número de 8 TFLOPS (da 1080) para 10 TFLOPS (Titan X).

Por outro lado, as frequências da Titan X são mais modestas, ela opera em 1.417MHz na clock base, um pouco menos que os 1.607MHz da GTX 1080. Porém, ela ainda é muito mais potente que a antiga Titan X, que operava sob Maxwell.

Memória de grande largura de banda

As GPUs de modelo Titan da Nvidia sempre apresentaram uma grande quantidade de memória, e na Titan X não foi diferente. A quantidade disponível é de 12GB, um grande incremento em relação aos 8GB da GTX 1080. Cabe observar também que elas são do tipo GDDR5X, uma evolução próxima a da GDDR5, que consegue entregar mais largura de banda.

Litografia mais enxuta

A litografia consiste na arquitetura utilizada na GPU para que ela diminua o tamanho do circuito e consiga encaixar mais transistores no mesmo espaço. Resumidamente, são novas técnicas para incluir milhões de novos transistores no núcleo sem aumentar o tamanho físico da placa.

O Pascal é uma tecnologia mais enxuta, traz memórias mais rápidas e garante mais espaço, mas o seu grande diferencial é a SLI HB Bridge M, uma ponte que traz o dobro de largura de banda ao conectar duas GPUs simultaneamente. A litografia incentiva a combinação de duas ou mais placas superpotentes ao garantir mais resultados, sem gargalos e sem que o SLI queime.

Principais vantagens da Titan RTX

Depois de anunciar a GeForce RTX 2080 e a 2080 Ti, a Nvidia divulgou a versão mais potente da família: A Titan RTX. Um de seus diferenciais é a utilização das novíssimas tecnologias que surgiram com a linha RTX e revolucionarão o mercado gráfico. Veja nos tópicos seguintes quais são elas e confira comparativos entre a Titan RTX e a Geforce RTX 2080 Ti.

Arquitetura Turing

A arquitetura ou litografia Turing é uma das grandes novidades das RTX. Isso ocorre pelo fato de que seus processadores são dedicados ao Ray Tracing. Essa é uma tecnologia que altera a maneira que o som e a luz são simulados, de forma mais próxima à realidade do que técnicas antigas.

Com o Turing, a luz viaja em até 10 GigaRays por segundo em um ambiente tridimensional. Os resultados são até 25 vezes maiores que os obtidos com a litografia da geração anterior, que é a Pascal.

Em relação à inteligência artificial, a nova arquitetura também utiliza os Tensor Cores para acelerar o aprendizado das máquinas e fornece até 500 trilhões de operações tensoras por segundo. Os ganhos foram tão expressivos que a tecnologia adquiriu o nome de “Deep Learning”, que se traduz para aprendizagem profunda das máquinas.

Graças aos ganhos no nível de performance, surgem algumas novidades, como o Anti-Aliasing de Deep Learning (DLAA), que é a inteligência artificial aplicada sobre Anti-Aliasing, e o denoising, que é o dimensionamento de resolução e re-temporização de vídeos.

Grande memória

Um dos pontos de destaque da Titan RTX consiste na quantidade de memória, que é de 24GB. Isso é mais que o dobro da RTX 2080 Ti (11GB) e o triplo da RTX 2080 (8GB). Além disso, as memórias são GDDR6X, o que significa que são mais velozes que a linha anterior.

Mas há uma razão por trás desse expressivo número: os dados trabalhados em uma inteligência artificial costumam ser bastante elevados. Portanto, a nova GPU tem a finalidade de aplicar o Deep Learning e solucionar as necessidades dos profissionais que trabalham com essa tecnologia sem gargalos, problemas de aquecimento etc.

Mais operações de ponto flutuante e núcleos CUDA

A Titan RTX é equipada com até 4.608 núcleos CUDA, o que possibilita a realização de até 16 trilhões de operações de ponto flutuante, bem como mais de 16 trilhões de operações inteiras por segundo em paralelo. Isso significa que ela chega a 16,3 teraflops, contra os 14,2 da GeForce RTX 2080 Ti.

Mas graças à arquitetura Turing, em operações de machine learning, a GPU bate 130 teraflops, enquanto seu modelo antecessor — Nvidia Titan V — alcançava 110.

É importante ressaltar que, enquanto a Titan RTX apresenta menos núcleos CUDA que a Titan V (5.120), o seu desempenho é maior, pois a sua litografia faz com que eles trabalhem de forma mais eficiente que a Pascal e a Volta (aplicada na Titan V).

Nos jogos, pode-se esperar que a Titan RTX tenha um desempenho até 15% maior que a GeForce 2080 Ti, principalmente nas texturas e no sombreamento. No entanto, em relação à aplicação de inteligência artificial — que é seu foco —, suas operações são inigualáveis.

É fundamental que tanto o gamer quanto o profissional que trabalha com IA realizem pesquisas profundas na área para escolher a melhor opção para atender suas necessidades, já que o foco da Titan X e Titan RTX é distinto das demais. Além disso, essas GPUs apresentam diferenças entre si tanto na potência como nas tecnologias implementadas.

Quer saber se vale a pena fazer a troca da placa RTX? Confira nosso artigo que responde a essa dúvida!

Atenção, jovem gafanhoto! Não recomendamos o manuseio do console caso você não tenha experiência. As peças internas são sensíveis e podem ser danificadas no processo, levando a novos problemas. Vale lembrar que o rompimento do lacre, independente do tempo, anula a garantia do aparelho.

Na dúvida, procure ajuda especializada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *